Drª. Alice Cardoso Pellizzari

Câncer de pele: são todos iguais?

person

Não, existem três tipos principais de câncer de pele: Carcinoma basocelular, Carcinoma espinocelular e Melanoma. O mais comum deles e o menos agressivo é o Carcinoma basocelular que irei comentar hoje. Este câncer de pele pode se manifestar no início como uma mancha vermelha, com descamação ou como uma bolinha com vasinhos e mais tarde, se não tratado, pode se tornar profundo, sangrante não cicatrizar , aumentando de tamanho lentamente e invadindo áreas próximas como nariz, orelhas e olhos. Muitas vezes ele não causa sintomas e isto faz com que o paciente não procure o médico. Acomete principalmente as áreas expostas ao sol e por isto é muito mais comum em pacientes com pele clara e exposição solar de longa data. O diagnóstico é feito através do exame dermatológico e biópsia da lesão suspeita. O tratamento é feito através da retirada com cirurgia. Muitas vezes é necessário enxerto de pele para substituir a área acometida. Para prevenir este câncer deve-se ter o hábito de se proteger contra o sol, evitando os horários mais intensos e aplicando filtro solar. É importante também fazer o exame preventivo anual com seu médico dermatologista para fazer o diagnóstico precoce. E se perceber qualquer lesão suspeita procurar avaliação breve.

Na próxima semana falaremos sobre os outros tipos de câncer de pele.

Quer saber mais? Acesse o site: www.alicepellizzari.com.br

Dra. Alice Cardoso Pellizzari

Médica Dermatologista CRM 38683/RQE 30564

Proaten , Rua Otaviano Manoel de Oliveira JR., 237 –Centro

Agende sua consulta:

Microagulhamento: o que é?

person

Você já ouviu falar no rolinho de agulhas para tratamento da pele? Esse é o chamado Microagulhamento. São microperfurações na pele com finas agulhas metálicas. Seu resultado é através da produção de novas fibras de colágeno e de outras estruturas que dão sustentação à pele.

É sempre importante certificar-se de que o material tem autorização da Anvisa e de que as agulhas sejam estéreis. Não deve ser feito em quem tem câncer de pele no local da aplicação. A pele bronzeada ou com infecções no local também não pode receber o microagulhamento.

O tratamento é indicado para cicatrizes de acne, estrias, envelhecimento, flacidez, calvície e melasma. A técnica é feita com rollers ou aparelhos elétricos com agulhas acopladas. Pode ser feita de forma mais superficial com anestésicos em creme. Mas também há o microagulhamento mais profundo com o paciente anestesiado em bloco cirúrgico. O resultado depende da intensidade e do número de sessões. A recuperação após o procedimento em geral é de 3 a 5 dias. Após o procedimento é importante se proteger do sol.