Dia do Repórter

Dia do Repórter

person

Na quinta-feira, 16, lembramos o Dia do Repórter. Numa época onde tudo é divulgado nas redes sociais, é cada vez mais importante o trabalho do repórter, que tem a função de elaborar textos jornalísticos, analisando a veracidade dos fatos, para transmitir acontecimentos da melhor forma possível, mostrando a verdade sempre. A palavra repórter vem do verbo latino ‘portare’, ou seja, ‘trazer do porto’, ‘levar ao porto’, sentido primitivo que depois se desdobrou em outros significados semelhantes, como conduzir, acompanhar, enviar.
As novas tecnologias vêm auxiliando o trabalho jornalístico, tornando tudo mais rápido, o que, muitas vezes, na pressa de divulgar um fato em primeira mão, comete-se erros e injustiças. Hoje, nas redes sociais, muitos tentam ser “repórteres”, divulgando fotos e informações que extrapolam do limite da ética. Entre os exemplos, estão fotos de acidentes de carro que mostram as vítimas, que muitos jornais impressos ou virtuais, com repórteres que passaram pelo curso de jornalismo, evitam publicar em respeito às famílias.
Tinha razão o escritor italiano, filósofo e semiólogo Umberto Eco, falecido em 19 de fevereiro do ano passado. Segundo ele, as redes sociais vêm dando o direito à palavra a uma “legião de imbecis” que antes falavam apenas “em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade”. Conforme o autor dos livros ‘Viagem na Irrealidade Cotidiana’, ‘O Nome da Rosa’, entre outros, a TV já havia colocado o “idiota da aldeia” em um patamar no qual ele se sentia superior. Conforme ele, “o drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”, acrescentou.