>Dia da Animação em Guaíba

Dia da Animação em Guaíba

Curtas

Neste domingo dia 28 de outubro, celebra-se o Dia Internacional da Animação e em virtude das eleições a mostra de curtas-metragens de desenhos animados nacionais e internacionais será realizada em Guaíba na segunda-feira, 29, às 19h30min, no Instituto Gomes Jardim. Com entrada franca, centenas de cidades de todos os estados do Brasil mais o Distrito Federal integram a mostra. Desde 2004, a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), realiza o Dia Internacional da Animação (DIA), que é o maior evento de exibição simultânea do país. Guaíba integra a mostra há mais de dez anos.
A comemoração também acontece em dezenas de países, tais como, EUA, França, Portugal Coreia do Sul, Egito, Austrália, Japão, entre outros, celebrando a data em que ocorreu a primeira exibição de imagens animadas no mundo.
O evento gera a integração cultural em todas as regiões do país, mobilizando diversas comunidades e facilitando a inclusão e o acesso da população à cultura. Uma das grandes características do Dia Internacional da Animação é a exibição de filmes não só nos grandes centros, como também em muitas cidades do interior do Brasil que não tem salas de cinema. “Há 15 anos, o evento vem se consolidando cada vez mais, passando a fazer parte do calendário cultural de vários municípios. Muitas cidades agregam programações como mostras, exposições e oficinas próprias. É muito legal ver realizadores locais - que no começo só exibiam as mostras - passam a estudar animação e se especializar nessa área”, aponta Priscila Severo, produtora do evento.
Neste ano, um dos destaques é o curta Torre, dirigido por Nádia Mangolini e premiado no Festival de Cinema de Gramado com os Kikitos de “Melhor filme do público”, “Melhor filme pela crítica” e “Melhor direção de arte pelo júri oficial”. O evento também disponibiliza para as cidades participantes versões da Mostra Nacional com os recursos de Audiodescrição, LIBRAS e legendagem, possibilitando o acesso de deficientes auditivos, visuais, além de pessoas com síndrome de down e autismo. Nos últimos anos, houve algo próximo de 100 mil espectadores, porém, essa é uma conta que não tem como ser exata, uma vez que acontece de forma absolutamente gratuita e em lugares alternativos e acessíveis, como escolas e praças públicas. Em se tratando de financiamento, o projeto é viabilizado através de leis de incentivo por meio de editais do Ministério da Cultura e Secretaria do Audiovisual .