>Domingo na Ilha Pedras Brancas

Domingo na Ilha Pedras Brancas

Ambiente e cultura

No último domingo, dia 05 de maio, a Associação Amigos do Ambiente(AMA) organizou uma saída de campo à Ilha das Pedras Brancas, também conhecida como Ilha do Presídio. A iniciativa faz parte de um conjunto de projetos desenvolvidos pela AMA em parceria com ecologistas, historiadores, jornalistas, produtores culturais e artistas. A saída contou com a presença de Zoravia Bettiol e Hique Gomez. Os artistas foram convidados pela AMA para pensar ações culturais, construindo possibilidades de preservação ambiental e histórica.
A AMA acredita que a arte é uma das mais belas formas de expressão do espírito humano, por isso, enxerga na Ilha uma abertura para a produção e a fruição estética.A saída foi articulada por Denise Silveira, professora e produtora cultural, em parceria direta com Simone Steigleider e todos os demais membros da AMA que em conjunto estão realizando um projeto de revitalização.
As falas foram realizadas pelo coordenador da AMA, Eduardo Raguse Quadros, pelo biólogo e guia de turismo Felipe Schenkel e pelos professores Miriam Leão e Bruno Silveira. Bruno Silveira, em pesquisa recente desenvolvida junto ao PPG de História da UFRGS estuda o período em que a Ilha foi usada como presídio político e tem em vista a criação de um Memorial.
Há mais de 20 anos, a AMA e o Pró Cultura de Guaíba  levam estudantes, pesquisadores e comunidade em geral para ações  de limpeza, pesquisa e visitação.
O evento contou ainda com a presença da advogada Jaqueline Custódio, especialista em patrimônio e de fotógrafas do Núcleo de Antropologia Visual da UFRGS. Também esteve presente a fotógrafa e jornalista Daniela Villar que, em conjunto com Denise Silveira, irá realizar um workshop fotográfico na Ilha.
Para a AMA, trabalhar em conjunto para manter esta Ilha viva, com toda a sua história, é possibilitar a construção de uma educação ambiental e histórica para as futuras gerações.

Há cinco anos ilha era tombada
Com o objetivo de preservar o espaço e suas edificações devido a seus valores históricos e ambientais, o Instituto Estadual de Patrimônio Histórico (Iphae) recebeu, em março de 2014, pedido de tombamento por várias entidades, entre elas a prefeitura de Guaíba, a ONG Amigos do Meio Ambiente, Movimento Pró-Cultura de Guaíba, do vereador de Guaíba, Xandão, da Comissão Verdade e do Governador Tarso Genro.