>Grupo CCR vence licitação

Grupo CCR vence licitação

Trânsito

O Grupo CCR, maior concessionária de rodovias do Brasil, venceu nesta quinta-feira (1º) o leilão para a concessão das rodovias federais no Rio Grande do Sul com a tarifa básica do pedágio a R$ 4,30, um valor 40,53% mais baixo do que o teto estipulado no edital. O contrato será assinado no dia 9 de janeiro e terá duração de 30 anos.

A Rodovia de Integração do Sul (RIS) compreende as BRs 101, 290, 386 e 448, no Estado. “Como coordenador da Frente Parlamentar pela Duplicação da BR-386 e como ex-presidente da CPI dos Pedágios, a gente destaca esta concessão porque nós defendíamos a duplicação, mas também precisávamos ter o cuidado de não ter tarifas elevadas”, considerou Sossella. 

Como coordenador da Comissão de Representação Externa da Assembleia Legislativa que acompanhou a questão dos pedágios no Estado, o deputado participou desde o início do processo de concessão fazendo apontamentos nas audiências públicas ou intermediando audiências em Porto Alegre e Brasília com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, prefeituras, associações e lideranças.

“Esta conquista é fruto da luta da organização civil, que se mobilizou e possibilitou a realização de quatro audiências a mais que estavam previstas pela ANTT para discutir o assunto. A ida do ministro do TCU Bruno Dantas e de técnicos do órgão ao Rio Grande do Sul, intermediada por nós, também foi fundamental na elaboração desta concessão, tanto que isso tudo resultou na confirmação de R$ 1,8 bilhão a mais em investimentos”, analisou.

A partir da assinatura do contrato, a empresa terá um mês para iniciar a recuperação das estradas e das praças de pedágio. “Depois de uma experiência nada salutar com a concessão de rodovias no nosso Estado, a gente vê com bons olhos a boa nova de termos pedágios ao valor de R$ 4,30 que irão garantir a duplicação de mais de 220 km nos 30 anos de concessão, entre outras obras que serão executadas”, completou.