>Guaíba e Eldorado não devem ter novos pedágios

Guaíba e Eldorado não devem ter novos pedágios

Mobilidade

A Agência Nacional de Transportes Terrestres(ANTT) garantiu que Guaíba e Eldorado do Sul não devem receber novas prças de pedágio. Com a duplicação da BR 116 e 290, Camaquã e Pantano Grande devem receber as praças. A afirmação foi feita pela coordenadora da ANTT, Marisa Tiefense, durante audiência pública na Câmara de Vereadores de Guaíba, no dia 22 de junho. O evento da Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e Turismo da Assembleia Legislativa (CEDST) buscou debater os valores das tarifas cobradas no RS, a isenção de tarifa para carros emplacados nas cidades com praças de pedágio, os novos editais de concorrência para concessão das novas praças pedagiadas e renovação das atuais.
A audiência foi conduzida pelo deputado estadual Adilson Troca (PSDB), presidente da CEDST, e teve como proponentes os vereadores Juliano Ferreira (PR) e Arilene Pereira (PTB). O evento contou também com a presença do deputado Maurício Dziedricki (PTB), além dos vereadores Florindo Motorista (PSD), Alex Medeiros (PP), Nelson do Mercado (PP), Manoel Eletricista (PPS) e Gelson Antunes (PTD), presidente da Câmara de Vereadores de Eldorado do Sul. Participaram ainda da audiência, o secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Guaíba, Selito Carboni, o presidente do Movimento Ponte do Guaíba, Luiz Domingues, o presidente da CDL de Guaíba, Marcelo Maranata, associações a União das Associações de Moradores de Guaíba (UAMG), representada por Rudnei Vicente.
Luiz Domingues destacou que o Rio Grande do Sul paga uma das maiores tarifas de pedágio do país e que, tanto o Movimento Ponte do Guaíba, como a UAMG, desejam uma discussão aberta e conciliadora com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte - DNIT e a ANTT a fim de reduzir tarifas e debater as contrapartidas viárias para a renovação dos atuais contratos e das novas concessões.

O QUE DIZ A ANTT: A ANTT está estudando a possibilidade de uma nova prorrogação do contrato da CONCEPA, tendo em vista que o Ministério dos Transportes já informou, desde o início do ano, que não haverá tempo hábil para a assunção de novo concessionário até o final do contrato vigente, em 03/07/2018.  Ainda não há definição se haverá prorrogação e sobre quais seriam as suas condições, inclusive quanto ao prazo de eventual novo termo aditivo. As condições estão em avaliação, tendo em vista os apontamentos recentes do Tribunal de Contas da União. Caso ocorra a prorrogação, a tarifa será reduzida em relação ao valor praticado atualmente, sendo o novo valor divulgado quando da assinatura do eventual termo aditivo.