>Situação de emergência em Guaíba

Situação de emergência em Guaíba

Combustíveis


O prefeito José Sperotto decretou no sábado, 26, situação de emergência preventiva em virtude do desabastecimento de combustíveis e as consequências provocadas na cidade .
Ficam suspensos na segunda-feira, 28 de maio, os atendimentos na secretarias municipais, que atuarão em expediente interno. As aulas também ficam suspensas.

Pelo decreto, ficam mantidos os serviços de protocolo e cadastro na prefeitura, postos de saúde e o Pronto Atendimento. 

TRANSPORTE: Neste sábado, 26, funcionam somente os ônibus convencionais, somente nos horários de pico, pois são os que carregam os idosos e pessoas com deficiência. Os amarelinhos não estão operando.

DIESEL: Na tarde de sábado,  o prefeito José Sperotto,  garantiu a vinda de dois caminhões de diesel (45 mil litros) para abastecer a frota de ônibus de Guaíba e manter o  transporte urbano e intermunicipal por mais tempo.

"Como prefeito e também vice-presidente da Famurs, participei hoje à tarde(sábado 26) da criação do Gabinete de Crise, do Governo do RS. Agradeço também a parceria com a empresa Guaíba, Assur e Brigada Militar", comentou o prefeito nas redes sociais.

ESTAD0: O governo do Estado está concentrando esforços para diminuir os impactos do desabastecimento nas cidades gaúchas e normalizar a circulação de produtos essenciais como remédios, alimentos perecíveis, combustível e insumos químicos para água potável, entre outros itens. Somente neste sábado, 26, ocorreram quatro reuniões entre o vice-governador José Paulo Cairoli, secretários e grupos de trabalho, todas elas por iniciativa do Gabinete de Crise instituído pelo governador José Ivo Sartori para monitorar e buscar soluções aos efeitos provocados por cargas paralisadas nas rodovias.

Até o final da tarde, a greve dos caminhoneiros concentrava 87 pontos de paralisação. A prioridade da coordenação da Defesa Civil estadual, já a partir deste domingo, é executar ações integradas nas áreas da Saúde, Transporte, Segurança e Agricultura. Um Centro de Informações funciona no Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI) da Secretaria da Segurança Pública para identificar as necessidades imediatas de atendimento, apoio ou mesmo desobstrução de vias de acesso para itens emergências.

O número de municípios gaúchos que decretaram situação de calamidade pública aumentou para 407, incluindo a capital. A Defesa Civil realizou levantamento em cada área, como transporte de combustível por comboio para ambulâncias, viaturas e transporte coletivo. Para o coordenador da Defesa Civil Estadual e do DCCI, Cel. Alexandre Martins, todos têm o consenso de que o transporte de produtos de emergência é essencial. "Por isso descartamos resistência dos movimentos", afirmou.

No DCCI, 50 integrantes da Defesa Civil e agentes de segurança foram orientados para os procedimentos em ocorrências emergenciais. Segundo o vice-governador, o Comitê avalia a cada hora a situação nos principais pontos do estado para garantir a normalidade das operações de segurança e transporte. "Estamos monitorando e atentos aos movimentos. O contingente da Brigada Militar nas operações não será afetado no policiamento dos municípios", pontuou. 

Nos próximos dias, novos levantamentos serão produzidos no DCCI para intensificar ações caso permaneça o desabastecimento no Estado.