>Sobe para 37 casos de pessoas com coronavírus

Sobe para 37 casos de pessoas com coronavírus

Mercado Paulinho reabre

O último boletim divulgado pela prefeitura de Guaíba aponta 37 casos de coronavírus, dos quais 13 estão em recuperação e um óbito. O primeiro caso foi registrado há mais de 50 dias. Na época o número de mortes no Brasil era de 299 e no Estado, cinco. Hoje são mais de 21 mil mortes no Brasil e 172 no RS. Em Guaíba,  A região do Centro, parque 35, Ermo e Coronel Nassuca são os bairros com maior número de casos.  Guaíba tem ampliado o número de testes. Até ontem, foram realizados 219.

Nesta semana, a secretaria de saúde recebeu 1.300 testes rápidos do Ministério da Saúde e do Governo do Estado.  A Prefeitura é obrigada a seguir o protocolo estabelecido pelo próprio Ministério. Segundo a prefeitura, para realizar o teste, o paciente precisa estar na janela imunológica, ou seja, 10 dias depois dos primeiros sintomas ou 10 dias após o contato com alguém que testou positivo. Além disso, só podem fazer o teste cidadãos com mais de 50 anos de idade, profissionais da área da saúde, da segurança pública, equipes da assistência social, membros do conselho tutelar e familiares que residem com pacientes infectados. No momento, todos os postos de Saúde de Guaíba contam com os testes rápidos.

 

Mercado do Paulinho

Depois de ficar fechado desde quarta, 20, em virtude das exigências da saúde, o Mercado Paulinho, reabriu as portas neste sábado.

 “ Estamos abrindo nossas portas com a sensação de dever cumprido juntamente a sociedade, onde o melhor para nós, e o mais importante acima de tudo é a vida.  Em união com a secretária da saúde de Guaíba onde cada uma de nossas lojas foram higienizadas e assim inspecionadas por profissionais da área... Podemos dizer que somos a ÚNICA rede de Supermercados inspecionada e aptas perante ao Ministério da Saúde a receber você e nossos colaboradores com total cuidado e SEMPRE prezando pela saúde dos mesmos”, diz o mercado em nota divulgada.

 

Segundo a  prefeitura, no dia 8 de maio, a Vigilância em Saúde realizou uma ação para averiguar o cumprimento de questões relacionadas ao covid-19, no Mercado Paulinho. Os fiscais sanitários fecharam provisoriamente as três unidades para investigar o que estava acontecendo, ou seja, foi uma interdição cautelar. A investigação epidemiológica apurou que o do Ermo e da Santa Rita poderiam ser imediatamente liberados. Já a unidade do centro ficou por mais algumas horas interditadas para que a investigação fosse aprofundada, pois foram identificadas questões sanitária que necessitavam de uma abordagem mais criteriosa

       O local foi liberado ainda no mesmo dia após a vigilância fazer diversos apontamentos que deveriam ser seguidos pela empresa. Porém, o mercado não seguiu ou não executou tais determinações. Desta forma, esgotada todas as possibilidades de se ajustar as condições exigidas para garantir o bem da saúde pública, só restou à vigilância em saúde interditar os três mercados por tempo indeterminado. Isso aconteceu exatamente às 20 horas do dia 20/05, quarta-feira.

    O Ministério Público acompanha de perto, desde o início, todo o processo. O objetivo maior é evitar a propagação do coronavírus entre a população.

Matéria atualizada em 23/5/2020