>De menor aprendiz a gerente

De menor aprendiz a gerente

Carreira

Nas tardes de verão o sorvete é a escolha certa de muitos adolescentes e adultos. Essa também foi a escolha de Rosane, porém, uma escolha um pouco diferente da maioria dos jovens de sua idade. Com apenas 14 anos de idade ela começou a trabalhar servindo sorvete no Supermercado Nacional de Guaíba. Havia perdido a mãe, uma das irmãs estava grávida, o pai estava no segundo casamento e ela precisava ajudar: “Minha família era muito grande, eu tenho mais nove irmãos. Sabia que meu pai não poderia me dar tudo o que eu queria e eu também precisava ajudar em casa”.
Nascida e criada em Guaíba Rosane conciliava os estudos no turno da manhã com o emprego de meio turno à tarde. A força de vontade dela ajudou no crescimento dentro da empresa rapidamente. Passaram-se seis meses até se tornar operadora de caixa na mesma loja, onde ficou por mais um ano, quando se tornou circularista/cartazista. Mas o que ela queria mesmo era ser fiscal de caixa, porém, como ainda era menor de idade não tinha como assumir essa posição. Não naquele momento.
Ao contrário do que é visto hoje no mercado de trabalho, até a década de 90 poucas mulheres ocupavam cargos de comando dentro das empresas. A gerente contou que quando começou na loja, a maioria dos funcionários eram homens. Nem mesmo nas menores posições, que hoje é maioria feminina, como padarias e atendimento de balcão. Eles estavam por tudo. Um ano e meio depois Rosane foi promovida à Fiscal de Caixa, onde pode assumir sua primeira equipe e permaneceu por dois anos. Outros três cargos foram ocupados por ela até que assumisse uma posição de chefia dentro da multinacional, finalmente. Foi no ano de 2007 que Rosane passou a ser supervisora de padrões operacionais no escritório. Junto dessa nova ocupação um grande desafio e muita responsabilidade. De segunda à sexta-feira ela viajava pelo estado, visitava todas as lojas da rede, coordenando equipes do supermercado Nacional e Big. “Fiquei cinco anos como supervisora, até que resolvi me candidatar à gerente. Percebi que era capaz de comandar uma equipe como meus colegas sempre fizeram. Eu queria poder delegar, dividir responsabilidades, ensinar o que havia aprendido em mais de 20 anos de carreira”, contou a gerente.
Há 29 anos ela é vista pelos corredores das lojas de Guaíba, na linha de frente e também no escritório. Rosane Allama Menezes cresceu junto da multinacional e ajudou a fazer história dentro da empresa como gestora de equipe, mas ainda sonha mais alto: “Estou voltando a estudar, quero poder me formar em administração de empresas e galgar ainda mais posições aqui dentro. Sou uma mulher realizada pessoalmente e profissionalmente, mas vou sempre buscar maiores realizações”.