>Festa do arroz orgânico em Nova Santa Rita

Festa do arroz orgânico em Nova Santa Rita

Guaíba é uma das cidades que produz arroz sem agrotóxicos

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) promove no dia 20 de março, numa sexta-feira, a 17ª Festa da Colheita do Arroz Agroecológico. O evento será no Assentamento Capela, em Nova Santa Rita, na região Metropolitana de Porto Alegre.

Esta edição tem a presença confirmada do ex-presidente Lula, que participará da colheita simbólica na lavoura, às 11 horas, e do ato político no ginásio da Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan), às 14 horas.

“Será um momento de celebração e de esperança, de continuar levantando as bandeiras da agroecologia, do cuidado com o meio ambiente e da alimentação saudável”, destaca Emerson Giacomelli, da coordenação do Grupo Gestor do Arroz Agroecológico do MST.

Também foram convidados governadores, deputados, prefeitos e outras autoridades e lideranças. Conforme o Movimento, são esperadas cerca de 3 mil pessoas para a festa, que ainda terá apresentações artístico-culturais e feira de produtos coloniais e orgânicos da Reforma Agrária.

MST é o maior produtor de arroz orgânico

O MST produz arroz orgânico há mais de 20 anos e hoje é o maior produtor da América Latina, de acordo com o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga). A cadeia produtiva envolve oito cooperativas e abrange 14 assentamentos situados em 11 municípios gaúchos, nas regiões Metropolitana, Sul, Centro-Sul e Fronteira Oeste - Manoel Viana, Santa Margarida do Sul, Canguçu, Eldorado do Sul, Guaíba, Nova Santa Rita, Charqueadas, São Jerônimo, Tapes, Viamão e Camaquã.

Na safra 2019/2020, a estimativa é colher mais de 300 mil sacas do alimento (cerca de 15 mil toneladas), numa área total de 3.215 hectares. O cultivo, que ocorre em sistema pré-germinado, é feito por 364 famílias. Toda a produção é certificada.

Comercialização nacional e internacional 

Através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o MST atende mais de 100 prefeituras e contempla famílias em situação de vulnerabilidade social por meio de cestas básicas.

Assim, o arroz orgânico abastece escolas da rede pública e diversas organizações no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás, Pernambuco e Alagoas.

Só no RS, estudantes de mais de 600 escolas estaduais consomem o arroz orgânico na merenda. Além disso, estima-se que milhares de famílias carentes já tiveram acesso ao alimento no país.

A produção dos assentados ainda chega a hospitais, universidades, institutos federais, Forças Armadas e Exército Brasileiro. Também é exportada à Alemanha, Espanha, Estados Unidos, Uruguai, Chile, Venezuela e União Europeia.

O local da festa

O Assentamento Capela foi criado em maio de 1994, numa área de 2.160 hectares, e abriga 100 famílias, a maioria oriunda da região Norte do estado. Lá, 62 famílias estão envolvidas na produção de arroz orgânico agulhinha e cateto, por meio da Coopan.

O cultivo ocorre há 20 anos no assentamento. Nesta safra foram plantados 310 hectares e a estimativa é colher 25 mil sacas (1,250 mil toneladas). A Coopan possui agroindústria, que beneficia em média 500 sacas de arroz por dia e garante emprego permanente a 10 pessoas.

Os camponeses assentados no Capela também têm em suas principais produções leite e hortifrútis e criam suínos.
Foto - Leandro Molina.
Fonte MST